Categoria Direto da África

Prontas para domingo

Publicado em: 10/07/2010 por | 6 comentários

De Johanesburgo (África do Sul), especial para o copanobrasil2014.com

Muito mais do que um campeão inédito, a Copa do Mundo da África também marcará o primeiro título de uma seleção européia fora de seu continente. E Espanha e Holanda finalmente parecem prontas para alcançar o lugar que nunca antes conseguiram (leia mais aqui).

Mas não é disso que falamos hoje. Estão prontas para a final de domingo no Soccer City Stadium a Jo’Bulani, bola especialmente produzida para a partida, e a Taça FIFA World Cup, levantada pelo campeão da competição.

Taça FIFA World Cup e Jo'Bulani

Taça FIFA World Cup e Jo'Bulani lado a lado, em sessão de fotos realizada no Soccer City Stadium. Crédito: Felippe Rodrigues/copanobrasil2014.com

Há apenas dois dias da final, enquanto era realizado o ensaio da cerimônia de encerramento da Copa, taça e bola eram fotografadas pela FIFA no túnel de acesso ao campo.

A sessão, que durou pouco mais de 15 minutos, teve fotos com ambas lado a lado, bem como individualmente.

Taça FIFA World Cup

A Taça FIFA World Cup, que será levantada no domingo pelo time campeão. Crédito: Felippe Rodrigues/copanobrasil2014.com

A bola, dourada em homenagem à cidade de Johanesburgo, já tem as inscrições alusivas ao jogo de domingo. Pode-se ler os nome dos finalistas, bem como data local da final da Copa.

Jo'Bulani

Jo'Bulani, a bola do jogo entre Holanda e Espanha. Crédito: Felippe Rodrigues/copanobrasil2014.com

Já na dourada e cobiçada taça, podiam ser lidos os nomes dos países campeões do mundo desde 1974, ano em que a FIFA World Cup substituiu a Jules Rimet.

Taça FIFA World Cup na caixa da grife Louis Vitton

Taça FIFA World Cup na caixa especialmente desenhada pela grife Louis Vitton. Crédito: Felippe Rodrigues/copanobrasil2014.com

O orgulho de ser africano

Publicado em: 04/07/2010 por | 1 comentário

De Johanesburgo (África do Sul), especial para o copanobrasil2014.com

Os Estrelas Negras de Gana deixam a África do Sul com sentimento de missão cumprida. Se a principal intenção da festa do futebol em 2010 era celebrar a humanidade africana, foi exatamente esse o êxito dos ganenses na África do Sul.

Muito mais do que estar entre os oito melhores times da primeira Copa do Mundo realizada no continente africano, ao lado de consagradas equipes como Brasil e Argentina, e à frente de campeão e vice da última edição, os Estrelas Negras trouxeram à população africana um orgulho aparentemente sem precendentes.

Torcedor de Gana

Torcedor de Gana agita a torcida no Soccer City Stadium, em jogo contra a Alemanha. Crédito: Felippe Rodrigues/copanobrasil2014.com

Se a derrota para o Uruguai no Soccer City Stadium, na última sexta-feira, deixou um gosto amargo na boca do torcedor, a gana, com o perdão do trocadilho, mostrada pelos jogadores e a energia de apoio vinda das arquibancadas são de se invejar.

Bandeira de Gana

Torcedor de africano levanta a bandeira de Gana nas arquibancadas do Soccer City Stadium. Crédito: Felippe Rodrigues/copanobrasil2014.com

A seleção de Gana fez jus a toda a torcida não apenas dos sul africanos, mas de toda população do continente. E é por isso que, na tarde de hoje, os jogadores foram aclamados por centenas de pessoas em Melrose Arch, nas ruas de Johanesburgo, levando várias às lágrimas.

Ontem, os Estrelas Negras foram recebidos por Nelson Mandela, o maior ícone da história sul africana, que os disse para retornarem para casa de cabeças erguidas pelo ótimo papel na Copa.

Jogador com bandeira de Gana

John Paintsil comemora a classificação para as oitavas-de-final com bandeira de Gana. Crédito: Felippe Rodrigues/copanobrasil2014.com

E assim devem seguir, certos de que renovaram a esperança e o orgulho de ser africano.

Árbitro mexicano deveria ser a preocupação da FIFA

Publicado em: 01/07/2010 por | 1 comentário

De Johanesburgo (África do Sul), especial para o copanobrasil2014.com

Marco Rodriguez é um dos 2 árbitros mexicanos na Copa do Mundo de futebol e 2010. Entre os torcedores do México, Marco não é reconhecido com um dos melhores do país, ao contrário de Benito Archundia, também presente na África do Sul.

Até o momento, já são duas as partidas apitadas por Rodriguez. Em ambas, válidas pela fase de grupos da Copa, algum jogador saiu expulso. Em ambas, de maneira contestável.

Quando Alemanha e Austrália se enfrentaram em Durban, no dia 13 de junho, o australiano Tim Cahill foi o expulso, por falta em Bastian Schweinsteiger. O próprio alemão saiu em defesa do jogador do Everton, e disse que a decisão do árbitro foi muito severa.

Já em Pretoria, no dia 25, a vez foi Marco Estrada. No lance do segundo gol espanhol, o volante chileno tropeçou nos pés de Fernando Torres, que caiu, sem que o gol espanhol fosse evitado. Novamente, o árbitro abusou do rigor.

Outros árbitros do país, mais respeitados entre os mexicanos, ficaram de fora da Copa, mas têm suas presenças defendidas. Casos de Maurício Morales e de Joaquín Arellano Nieves, este escolhido o melhor do México em 2009.

Nesta Copa do Mundo repleta de lances polêmicos, o que mais preocupa é que Marco Rodriguez continua na lista dos 19 árbitros que ficam à disposição da FIFA para os últimos oito jogos da competição. Isso porque outros árbitros, como Jorge Larrionda e Roberto Rosseti, envolvidos em lances polêmicos estão fora da lista.

O uruguaio e o italiano cometeram erros cruciais, mas nada comparável ao que o mexicano tem feito nessa Copa. O futebol é hoje esporte muito veloz, e os árbitros estão sujeitos a não conseguir acompanhar um lance de impedimento ou uma bola que entra e sai do gol. O gol argentino não-anulado por Rosseti, bem como o gol de Lampard não anotado por Larrionda qualificam-se como erro humano.

Já os cartões vermelhos distribuídos por Rodriguez à esmo demonstram erro de juízo do árbitro e despreparo para comandar partidas do calibre de uma Copa do Mundo.

A FIFA deveria preocupar-se menos com erros humanos e que só serão evitados com ajuda extra, de tecnologia ou de mais assistentes, e mais com a escolha dos árbitros de suas competições.

Ganso e Pato, juntos, na África do Sul

Publicado em: 23/06/2010 por | Nenhum comentário

De Johanesburgo (África do Sul), especial para o copanobrasil2014.com

Mesmo fora dos 23 integrantes da delegação brasileira na Copa do Mundo de 2010, a irreverente torcida brasileira tratou de garantir a presença de Ganso e Pato na África do Sul. Encontradas perdidas nos arredores do Ellis Park Stadium, as aves carregavam faixa celebrando a amizade que os trouxe juntos à Johanesburgo.

Ganso e Pato

Irreventes, torcedores brasileiros fantasiam de aves para lembrar as ausências de Paulo Henrique Ganso e Alexandre Pato na seleção de Dunga. Crédito: Felippe Rodrigues/copanobrasil2014.com

A brincadeira dos torcedores faz recordar que Paulo Henrique Ganso, meia do Santos, e Alexandre Pato, atacante do Milan, foram preteridos por Dunga, mesmo com mobilização nacional por suas convocações. O técnico acabou optando por outros atletas para as posições.

Felizes com o desempenho da seleção, mesmo assim os dois brasileiros fazem coro para dizer que os jogadores, de quem são fãs, não deveriam ter sido deixados de fora pelo comandante da seleção.

Após expulsão injusta, Kaká promete voltar com tudo nas oitavas.

Publicado em: 22/06/2010 por | 2 comentários

De Johanesburgo (África do Sul), especial para o copanobrasil2014.com

Dia atípico no The Fairway, hotel da seleção brasileira em Johanesburgo, África do Sul. Com entrevista coletiva marcada para as 13h00, horário local, os cerca de 300 jornalistas presentes foram obrigados a aguardar mais de 40 minutos para o início da sabatina à Kaká.

Antes disso, porém, o assessor de imprensa da Confederação Brasileira de Futebol, Rodrigo Paiva, esclareceu que um imprevisto no almoço dos jogadores foi o culpado.

Sorridente desde o início, o meia respondeu a todas perguntas com muita clareza e objetividade. Sobre o lance que resultou em sua expulsão no último domingo, o jogador o considera recorrente nos campos de futebol. “Aconteceu uma jogada que acontece em todos os jogos e infelizmente uma simulação do adversário. Não foi nada demais. O lance foi normal mas acabou com a minha expulsão”, lamentou-se.

Já no segundo tempo do jogo contra a Costa do Marfim, Kaká chocou-se com o adversário Kader Keita, que foi ao chão com as mãos ao rosto. O árbitro francês Stephane Lannoy, enganado pela simulação do africano, expulsou o brasileiro de campo ao mostrar-lhe o segundo cartão amarelo.

O camisa 10 da seleção ainda negou que estivesse nervoso ou irritado com as entradas violentas que sofreu. Vocês viram muito bem o que aconteceu em campo. Irritação seria se eu tivesse dado uma porrada em alguém. Se eu tivesse tido uma atitude irresponsável, eu pediria desculpas”. E deixou o aviso para os adversários que vierem pela frente “Ninguém tem sangue de barata. A seleção não foi desonesta nem desrepeitou o adversário. Mas vocês nunca vão nos ver fugindo de divididas”.

Enfrentando apenas a terceira expulsão da carreira, Kaká admitiu que será mais cauteloso, apesar de acreditar que não deveria ter recebido o cartão vermelho. “Mesmo achando a expulsão injusta, nem sei o motivo do primeiro cartão amarelo, vou tomar mais cuidado. Temos que evitar isso em um momento importante como a Copa do Mundo” disse o jogador.

Já em relação à lesão no púbis que o afastou de grande parte da última temporada, o craque diz já não sentir mais dores e que por isso tem voltado a jogar bem. “A minha recuperação vem sendo muito boa, e o principal é na forma física ativa, dentro de campo. Já consegui fazer algumas jogadas mais rápidas nesse último jogo, coisas a que estou acostumado. Agradeço a todos que me ajudaram”, falou, em tom de alívio.

Quando perguntado se a suspensão para a próxima partida, contra Portugal, em Durban, não lhe atrapalharia a retomada do ritmo de jogo, o atleta mostrou-se otimista. Não vai atrapalhar em nada. São sete dias para me preparar, fazer um trabalho de fortalecimento muscular e melhorar a forma física para chegar pronto às oitavas de final”, finalizou.

Nova Camisa do Brasil - 2011